Notícias

27/07/2017

Santa Clara reúne mais de 200 jovens em Encontro de Produtores

Motivados em debater a sucessão rural, mais 200 jovens associados participaram do II Encontro de Jovens Produtores da Cooperativa Santa Clara. O evento foi realizado nesta quarta-feira, 26 de julho, na Sede da Associação de Funcionários da Santa Clara (Ascla), em Carlos Barbosa, e reuniu jovens de todas as regiões de atuação da Cooperativa.

A necessidade de abrir espaços para o debate esteve presente na fala do presidente da Cooperativa, Rogerio Bruno Sauthier. “Precisamos incentivar a sucessão familiar para que os jovens possam continuar o trabalho na propriedade”, comentou. 

A programação iniciou com a explanação do presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergílio Perius, que destacou o Cooperativismo e estimulou os jovens a estudarem e participarem do sistema cooperativo. “Você pode sair do campo para estudar e retornar para a propriedade e aplicar estes conhecimentos”, ressaltou.

A gestão rural esteve presente na fala da palestrante Rosani Spavanello, especialista no tema. Para ela, o diálogo entre as gerações fará a diferença no futuro. “O incentivo ao jovem deve vir de casa e ele deve estar preparado para enfrentar este desafio”, aconselhou. 

Hoje as tecnologias estão inseridas no dia a dia. Pensando nisso, o professor da ESPM-Sul Ricardo Sondermann apresentou ao público de que forma as inovações podem afetar a agricultura no futuro. 

O evento contou ainda com uma mesa redonda, mediada pelo diretor Administrativo e Financeiro da Santa Clara, Alexandre Guerra. Neste momento, os jovens produtores Evandro Schneider (Erebango), Ezequiel Nólio (Paraí), Tiago Baldasso (Carlos Barbosa) e Tiago Pitol Frizon (Cotiporã) relataram as suas experiências na propriedade.

O II Encontro teve como palestra de encerramento “Preparando a nova Geração para Vencer”, com o empresário e escritor Eduardo Tevah. Com teor motivacional, Tevah comentou sobre a importância de pensar no futuro e valorizar a experiência dos pais. 

Para a estudante de Tapera Beatriz Goelzer, 14 anos, é importante participar destes debates. “É um momento de aprendizado, onde sempre recebemos novas informações.” Ela relata que a família fez investimentos na propriedade, o que beneficiou a atividade leiteira e é um dos incentivos a ela permanecer no tambo.