Notícias

06/05/2019

1.700 associadas participam do 13º Encontro de Mulheres com Atividade do Leite Santa Clara

A Cooperativa Santa Clara mais uma vez reuniu suas associadas, esposas e filhas de associados para o Encontro de Mulheres com Atividade no Leite. A 13ª edição do evento aconteceu na Associação dos Motoristas de Paraí no sábado, dia 4 de maio, com uma intensa programação durante todo o dia, reunindo 1.700 mulheres.

A mulher tem um importante papel dentro da Santa Clara. É ela, na maioria das vezes, que está na lida diária com os animais na propriedade, no cuidado com a matéria-prima entregue à Cooperativa. Essa importância foi ressaltada pelo presidente, Rogerio Bruno Sauthier, em sua fala na abertura do evento. “Foram as mulheres que levaram a Santa Clara nos seus primeiros 70, 80 anos”, comentou citando também o primeiro Encontro de Mulheres, realizado em 1995, visando valorizar o papel da mulher. Também se pronunciaram na abertura a representante do Sescoop, Diene Azeredo Barbosa Ludwig, o prefeito de Paraí, Gilberto Zanotto, e o padre Volmir Comparim, que abençoou o evento.

Na sequência, a história da Santa Clara e as mudanças das Instruções Normativas 76 e 77 foram apresentadas pelos diretores Alexandre Guerra e João Seibel. “Com leite de melhor qualidade podemos fazer um produto diferenciado. E o consumidor reconhece isso. As premiações que a Santa Clara conquista são graças ao trabalho de vocês”, ressaltou Guerra.

Dia de aprendizado e entretenimento

A produtora Marlene Kaiut falou da sua experiência à frente da propriedade da família que toca no Paraná. Em 2011, aos 24 anos, a ex-modelo e então dona de casa Marlene assumiu a leiteria enfrentando a resistência do marido, que queria parar com a produção leiteira. Com a experiência que adquiriu na lida diária, mudou o perfil da propriedade familiar transformando a fazenda em um case de sucesso no leite. A propriedade de 46 hectares em Carambeí hoje é modelo de negócio, investe em tecnologia de ponta e produz 3.200 litros de leite por dia. Marlene faz de tudo na propriedade, de tirar leite à administração, e deixou o recado para as mulheres que elas podem e devem ter voz na propriedade.